Pesquisar este blog

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Saiba um pouco mais do Pirarucu

Manaus - O pirarucu, peixe da Amazônia, é um dos maiores peixes de água doce e também um dos mais consumidos pela população da região. Quando salgada, sua carne é considerada tão ou mais saborosa quanto a do bacalhau norueguês e por isso é chamado por muitos por "bacalhau da Amazônia.Cientificamente é denominado Arapaima gigas.
Normalmente a carne do pirarucu é vendida em mantas, secas e salgadas. Entretanto, atualmente, é vendido também fresca, sob forma de filés, inclusive.
Peixe importantíssimo para a alimentação da região, o pirarucu possui grande valor nutritivo.É utilizada para o preparo de diversos pratos típicos, entre os quais o famoso pirarucu de casaca, um prato à base de peixe, farinha e banana.
É um peixe da família dos arapaimídeos que pode chegar a mais de dois metros de comprimento e até 200 quilos de peso. Tem hábito carnívoro e prefere as águas calmas, vindo constantemente à superfície para respirar.
Possui uma língua óssea, utilizada pelas tribos indígenas da Amazônia como ralador e lixa de unha. Os nativos utilizam também as escamas para confeccionar adornos.
O pirarucu é protegido por lei, sendo uma das espécies cuja pesca é proibida durante determinados períodos. É uma espécie tipicamente amazônica, cuja denominação significa peixe (pira) vermelho (urucu), devido a sua coloração.
É possível criar o pirarucu em cativeiro, com excelente rendimento, por se tratar de peixe com grande potencial de cultivo, posto que o seu crescimento e ganho de peso podem, perfeitamente, ser constatados de uma semana para outra.
Receita do Pirarucu de casaca
1 Kg de pirarucu seco
4 bananas compridas, em fatias, fritas
1 Kg de farinha de mandioca, torrada
2 Caixinhas de corintas (passas sem sementes)
250 gramas de ameixas secas, cortadas
2 a 3 ovos cozidos
Cebolas, tomates e pimentòes cortados
Salsa e cebolinha
Azeite e vinagre
Leite de 1 côco, puro e natural
1 caixinha de catchup
Modo de fazer:
Deixe o pirarucu de molho em bastante água, pelo menos por umas 12 horas, trocando-a um mínimo de 3 a 4 vezes. Em seguida lave o peixe e afervente-o para retirar o possível restante de sal. Asse-o na brasa ou no forno, regando-o com um pouco de azeite. Deixe esfriar e desfie-o em lascas.
Faça uma farofa com a farinha de mandioca, um pouco de azeite e vinagre. Essa farofa não vai ao fogo.
Refogue no azeite, as cebolas, os tomates ( sem as sementes), os pimentões e o cheiro verde, tudo cortado miudinho. Estando estes temperos bem refogados, adicione catchup a gosto. Quanto mais catchup acrescentar mais vermelhinho ficará o molho.
Num recipiente refratário, alterne camadas de farofa, umedecendo-a com colheradas de leite de coco, o peixe, as fatias de banana e o refogado. Espalhe. Finalmente pedaços de ameixas e as passas. Enfeite com os ovos cozidos, as azeitonas.
Leve ao forno para aquecer e sirva, a seguir, acompanhado de arroz branco.
Fonte: Portal Amazônia

Aeroportos para Copa de 2014 estão
no limite da capacidade, afirma Ipea

Estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), nesta segunda-feira (31), revela que pelo menos oito das 12 cidades que irão sediar os jogos da Copa de 2014 estão com seus aeroportos operando no limite da capacidade máxima e, em alguns casos, “beirando o colapso operacional” devido à demanda não atendida. Segundo o Ipea, há risco de um apagão logístico no setor aéreo caso não haja investimentos.Para ilustrar o cenário, o levantamento do Ipea traz uma tabela com a capacidade de cada aeroporto atender a pedidos de pouso e decolagem nos horários de pico. O caso mais grave está no aeroporto de Manaus (AM), que tem capacidade de atender a nove pedidos de pouso ou decolagem nos horários de pico, mas recebe 17 pedidos de pouso e decolagem, praticamente o dobro do limite.
“Situações preocupantes são aquelas em que o nível de utilização das instalações suplanta 80% de sua capacidade. Os casos críticos, quando o nível de utilização das instalações supera a capacidade instalada ocorre em deterioração do nível de serviço. Nesses casos, dependendo do percentual alcançado está-se beirando o colapso operacional”, diz o estudo do Ipea.
Situações preocupantes são aquelas em que o nível de utilização das instalações suplanta 80% de sua capacidade. Os casos críticos, quando o nível de utilização das instalações supera a capacidade instalada ocorre em deterioração do nível de serviço. Nesses casos, dependendo do percentual alcançado está-se beirando o colapso operacional"
Trecho do estudo do Ipea
O Aeroporto de Congonhas e de Guarulhos, ambos em São Paulo, onde uma das semi-finais do mundial deve ocorrer, também operam com níveis bastante superiores ao limite máximo. Congonhas tem capacidade de atender a 24 operações de pouso ou decolagem simultâneas, mas registra demanda de 34 operações. Guarulhos tem limite de 53 operações e funciona com fluxo de 65 pedidos.
O estudo do Ipea não apresentou a situação dos aeroportos em Cuiabá (MT), Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Recife (PE), que também irão abrigar os jogos da Copa. Mas, segundo o Ipea, a situação também é preocupante nesses aeroportos. De acordo com o instituto, o terminal de cargas de Manaus ficou absolutamente congestionado com a importação de insumos e peças para montagem de televisores e as empresas tiveram que readequar a produção.
A grande preocupação, segundo o Ipea, é justamente o nível de ampliação da demanda que eventos como a Copa das Confederações, em 2013, a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos (2016) irão provocar no país. Apenas em São Paulo, o movimento nos aeroportos será amplificado em 600 mil visitantes, segundo o estudo. “Não se pode deixar de considerar que um acréscimo estimado, para São Paulo, de 600 mil visitantes em dois meses causará grandes transtornos em Guarulhos e Congonhas, se não forem removidos a tempo os gargalos que afetam estes aeroportos”, afirma o estudo.
O estudo indica uma série de ações imediatas que podem resolver o problema e prega a injeção de recursos no setor em médio prazo para viabilizar os eventos esportivos e evitar que o setor aéreo venha a prejudicar e até impedir o crescimento econômico do país. Um dos pontos abordados pelo Ipea é a abertura de capital da Infraero, a empresa pública que controla os aeroportos, ou a concessão dos aeroportos mais lucrativos à iniciativa privada. A ampliação de terminais e construção de novos aeroportos por meio de parcerias público-privadas também é levantada.
Problemas
A evolução do transporte aéreo no país encontrou obstáculos que justificam as deficiências atuais. Na avaliação do Ipea, problemas de “ordem institucional, legal, infraestrutural e operacional” fizeram com que as melhorias no setor não acompanhassem o crescimento acelerado da demanda.
Os governos deveriam ter adotado medidas que vão desde o “adequado planejamento de longo prazo para o sistema de aviação civil” ao estabelecimento de “políticas consistentes” com “marco legal e regulador mais condizente com o novo ambiente competitivo”. “Além do mais, não se tem uma definição clara de estratégias para a aviação brasileira nos próximos 30 anos e, sobretudo, não se têm políticas e regras de regulação econômica que balizem a evolução dos mercados internacional, doméstico e regional”, critica o estudo.
Medidas
Para superar as dificuldades no setor, o Ipea argumenta que o governo vai ter que “conter a dispersão de recursos por uma grande diversidade de aeroportos, sem critérios claros de prioridades decorrentes das necessidades da demanda” e ainda distribuir os investimentos de acordo com o que a demanda e a segurança “exigem em termos de terminais, pátios, pistas e sistemas de aproximação e proteção ao voo”.
Desta forma, segundo o Ipea, será possível estimular o crescimento do transporte aéreo e a sua popularização, que devem ser vistos como positivos para o país. “Olhando para o futuro, independente do tipo de cenário projetado, os investimentos nas infraestruturas aeronáutica e aeroportuária deverão ser incrementados de forma significativa a médio e longo prazo.”Fonte:
Capacidade de pousos e decolagens simultâneos em horários de pico
AEROPORTO CAPACIDADE DEMANDA
NATAL (RN) 7 - 8
PAMPULHA (MG) 5 - 8
CONFINS (MG) 16 19
SANTOS DUMONT (RJ) 15 - 18
CURITIBA (PR) 14 -18
PORTO ALEGRE (RS) 14 -20
MANAUS (AM) 9 - 17
BRASÍLIA (DF) 36 - 45
CONGONHAS (SP) 24 - 34
GUARULHOS (SP) 53 - 65
Fonte: Ipea (dados de 2009)
Robson Bonin Do G1, em Brasília
Braga quer Melo como vice de Aziz

Manaus - O ex-governador Eduardo Braga (PMDB) afirmou hoje que o PMDB já está definindo a chapa majoritária, confirmando a candidatura de Omar Aziz (PMN) a reeleição...
para Governo do Estado e a pré-candidatura do ex-secretário de Governo, José Melo, a vice de Omar. Braga também afirmou sua pré-candidatura ao senado falando de seus planos para a campanha eleitoral.
O governador Omar Aziz não é pré-candidato e sim candidato a Governo do Estado. Sua candidatura foi assegurada hoje pelo ex-governador em entrevista a CBN. Braga também disse que o PMDB já está discutindo a chapa majoritária. “Estamos definindo agora a chapa majoritária, aonde o Omar é candidato a reeleição. Na hora que começar a campanha. Eu sou pré-candidato ao senado”, afirmou.
Para vice de Omar escolha de Eduardo Braga é calra e simples. “Já repeti 50 mil vezes que meu candidato é José Melo por ter uma boa articulação no interior do estado, conhece o programa de governo no interior muito bem. O PMDB não abre mão de indicá-lo a vice na chapa do Omar. É importante que todos saibam disso”, declarou Braga.
Os planos para campanha são muitos, mas ainda não foram definidos pelo partido. Braga conta que Omar viajará por muitos municípios do interior que ainda não sabem que ele (Braga) não é mais o Governador do Estado, além de afirmar que ainda não se pode julgar favoritismos nessas eleições tendo em vista que o governador Omar se apresentou como candidato nas últimas semanas.
“O governo do estado é bem avaliado na capital e no interior do estado. Não dá para ficar avaliando a candidatura Omar, ela precisará ser avaliada no tempo correto. Portanto a gente tem ki ter tempo e paciência, pois o Omar é um candidato extremamente competitivo a capital e no interior”, afirmou Braga.
Sobre sua campanha Braga afirmou ter planos de fazer sua esposa, Sandra Braga, como primeira suplente e o empresário Lírio Parisotto como segundo suplente. O papel que a ex-primeira dama exerceu frente ao Centro de Direitos Humanos – CDH – foi importante para sua escolha. Sobre o empresário, Braga falou que o envolvimento dele com o Amazonas é inegável e isso colaborou com sua escolha.
“Não tem nada definido ainda. Mas é verdade que eu vejo na Sandra a primeira suplente. O CDH prestou um grande serviço ao Estado do Amazonas. Mais de 30 mil pessoas recebeu carinho foram atendidas. Se depender de mim ela vai ser minha primeira suplente. O empresário Lírio Parisotto está construindo uma nova fábrica com investimento de 60 milhões de dólares pra gerar mais emprego no estado. Colabora com o Amazonas sustentável, que é hoje responsável por 7.000 bolsas florestas pagas”, explicou o ex-governador.(Manoreporter)





,



Médicos criticam dietas
‘bizarras’ para emagrecer

Médicos endocrinologias e especialistas em glândulas ouvidos pelo Fantástico criticaram dietas “bizarras” que as pessoas fazem para emagrecer. As mais variadas dietas estranhas, no entanto, não ajudam a emagrecer com saúde, garantem os especialistas
Entre as dietas mais estranha existe uma até que promete prevenir os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) e evitar que a mulher coma demais. “De todas as dietas que eu fiz a que eu mais gostei foi a da TPM (...) vai ser montado um cardápio de alimentos que vão prevenir os sintomas da TPM e ele funcionam muito bem, eu perdi peso e ganhei felicidade e tranqüilidade”, conta a dona de casa Liz Polania.
A estudante Adriana Sandoval, por sua vez conta que já fez muitas dietas. “Já fiz dieta do chá, dieta da bolacha de água e sal, dieta das frutas, dieta do nada, que não come nada, vive de água, de luz”.
Leonardo Fae diz que já fez uma dieta em que ingeria limão em jejum. Ele diz ter perdido sete quilos com este regime. “Fiz a dieta do limão (...) Tu inicia com um limão em jejum puro e vai até dez, quando dá dez você começa a retornar”. Adriana diz que também fez essa dieta e só conseguiu “uma gastrite crônica” como resultado.
Médicos criticam a prática das dietas bizarras. João Alberto Ferreira Mattos destaca a possibilidade de uma gastrite com a dieta do limão. “Não funciona. E a vida inteira chupando limão? Quando as pessoas acordam de mau humor, aquelas pessoas mal humoradas, o que foi, chupou limão hoje cedo?”, brinca.
Para a médica Zuleika Halpern, a mais absurda é a dieta em que as pessoas dizem se “alimentar de luz”. “Para mim, a mais absurda de todas é aquela que as pessoas se alimentam de luz. Tudo tem um limite na vida”.
Fazer dieta mastigando trinta e duas vezes cada porção de comida também não funciona, segundo os médicos. “Essa é uma das dietas da lista das esdrúxulas. Você calcula e depois da quinta garfada quem está em volta levanta e vai embora”, diz Mattos.
No cardápio das dietas bizarras existem ainda as que determinam que só se pode comer papinha de neném ou as que fazer um cardápio de acordo com o tipo sanguíneo. Existe até dieta espiritual que promete emagrecer com receitas do "além".
Para o médico Pedrinolla, é possível brincar até de criar uma “receita mágica” para os chocólatras. “A gente pode inventar aqui rapidamente a dieta do bombom(...) A pessoa vai emagrecer se ela comer só cinco bombons por dia e água, por exemplo”.
Os médicos destacam que para emagrecer não há outro jeito além de escolher alimentos de modo saudável e fazer atividades físicas. Pedrinolla destaca que nem é preciso fazer atividades físicas em grande quantidade, mas sim com frequência. “Sobre atividade física, a má notícia é que tem que fazer, a boa é que não precisa fazer tanto, mas tem que ter regularidade”. Ele destaca que o emagrecimento acontece quando a quantidade de calorias gastas é superior às ingeridas.
A médica Zuleika destaca a atenção à quantidade que se deve comer de cada alimento. “Não dá para comer tudo o que gosta todo dia, a quantidade que quer, a hora que quer, então tem que ter uma certa disciplina até pra comer”. Ela ressalta que se o regime não for equilibrado a pessoa pode voltar a comer até mais do que antes quando abandonar a dieta.



Manaus na área de risco
dos  terremotos no Brasil

Manaus - Nos últimos 10 anos, um fenômeno cada vez mais comum no país tem valido dedicação especial de pesquisadores: o grande número de tremores de terra. As falhas geológicas em 14 localidades brasileiras estão chamando a atenção de sismólogos. As informações são do jornal Correio Brasiliense.
Amazonas incluído na área dos sismos
Pesquisadores mantêm atenção constante em outros 14 sismos no país que podem gerar danos. Os mais sérios estão em Manaus, Pacajás e Codajás, no Amazonas, e em João Câmara, no Rio Grande do Norte.
Mato Grosso
Uma falha em Mato Grosso, é vista como um perigo potencial no futuro por ter sido ponto de um dos maiores terremotos ocorridos no Brasil, no século passado. Somente em uma cidade, em um período de 10 anos, houve registros de sete mil abalos.
Richter, é para Porto dos Gaúchos, no norte do Mato Grosso, que as atenções se voltam. Dos 100 tremores que aconteceram no país desde outubro de 2008, 23 foram próximos à cidade. “No local existe uma falha geológica ativa já mapeada e que tem constante movimentação desde 1952”, explica o chefe do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), Lucas Vieira Barros.
Segundo o especialista, o primeiro grande tremor, de 6,2º de magnitude, ocorreu em janeiro de 1955, e poderia causar vários danos, caso a região fosse habitada à época. Cerca de quatro anos depois, houve novo abalo, da mesma intensidade, que também não fez estragos.
Os tremores são resultantes de uma falha geológica com seis quilômetros de extensão e profundidade semelhante. Isso, segundo Lucas Vieira, pode ocasionar danos aos moradores, principalmente se os abalos superarem a marca de 7º na Escala Mercalli Simplificada, outra utilizada para medir a intensidade dos terremotos.
A partir deste ponto, já são verificados danos inclusive em edificações bem construídas que estiverem nos arredores do epicentro(2). A escala chega a 12, em que há destruição total do local atingido.
O chefe do Observatório de Sismologia da UnB cruzou todas as informações sobre os terremotos ocorridos no norte de Mato Grosso e observou que as ocorrências foram próximas a Porto dos Gaúchos e de outros municípios.
Área de risco em Mato Grosso tem 250 mil habitantes
A área, que era praticamente deserta há meio século, hoje tem população estimada em 250 mil pessoas. Inicialmente, os estudiosos acreditavam que o epicentro tinha ocorrido na Serra do Tombador, mas as pesquisas indicaram que o abalo foi mesmo próximo a Porto dos Gaúchos.
Risco maior
Depois de 1955, outros dois grandes tremores ocorreram no norte de Mato Grosso, em 1998 e em 2005. Esse é outro motivo de preocupação dos pesquisadores. “Se os terremotos são cíclicos, pode acontecer um próximo”, afirma o chefe do Observatório da UnB. “Mato Grosso, teoricamente, tem risco maior de um novo tremor, considerando que há 55 anos aconteceu o maior tremor do país lá”, acrescenta Lucas. O observatório está instalando instrumentos em pontos considerados estratégicos na região para acompanhar a evolução.
Acre
Três terremotos ocorridos no Acre desde outubro de 2008 tiveram mais de quatro graus na Escala Richter. No primeiro deles, em janeiro do ano passado, foi registrado um abalo de 5,6º. O segundo, em 24 de abril de 2010, teve magnitude de 4,9º. Em 25 de maio, o mais recente, chegou a 6,5ª, nível semelhante ao do terremoto do Haiti, em janeiro deste ano, que teve 7º e matou mais de 200 mil pessoas na ilha caribenha.
2 - Foco do tremor
O epicentro de um terremoto é o ponto na superfície da Terra mais próximo do local onde ocorreu o tremor de terra. A zona próxima ao epicentro é normalmente a mais afetada por um abalo sísmico. A observação nem sempre é verdadeira, principalmente se o ponto se localizar no mar ou em zonas desabitadas.Fonte: Correio Brasiliense - Portal Amazônia

 Liberada a licença de construção de Angra 3

Brasilia - A Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) emitiu hoje a licença de construção da usina nuclear de Angra 3 (RJ). A decisão foi publicada na edição de hoje no Diário Oficial da União. O presidente da Cnen, Odair Dias Gonçalves, explicará ainda hoje detalhes da licença e suas condicionantes.
Segundo o superintendente de Gerenciamento de Empreendimentos da Eletronuclear, Luiz Manuel Messias, a licença era o documento que faltava para que a estatal iniciasse a concretagem da laje do edifício do reator da usina, marco zero das obras de Angra 3.Fonte: Agência Estado

Pré-campanha antecipa estrutura dos
candidatos para disputar Presidência

Brasilia-S.Paulo - A duas semanas do início das convenções partidárias que vão oficializar os candidatos à Presidência da República, os três principais pré-candidatos – Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) – já contam com estruturas organizadas para a disputa.
Jatinhos, escritórios, equipes de comunicação, marqueteiros, assessores e até pagamento de salários fazem parte da rotina dos núcleos de pré-campanha desde a indicação dos pré-candidatos pelas legendas.
Dos três partidos ouvidos pelo G1, apenas o PV fez uma estimativa de gastos no período que antecede a oficialização das candidaturas, marcadas pela Justiça eleitoral para o período de 10 a 30 de junho. Até o final deste mês, os gastos podem chegar a R$ 5 milhões. O partido estima que a pré-campanha alcance os R$ 10 milhões.
O dinheiro arrecadado pelo PV tem auxiliado nas despesas já contabilizadas de Marina Silva. Segundo o partido, o dinheiro captado está sendo utilizado na produção das inserções de televisão, pesquisas, contratação de profissionais e nos deslocamentos da pré-candidata e do seu grupo de assessores.
Embora a maioria de seus deslocamentos sejam feitos em aviões de carreira, Marina tem utilizado voos fretados, mas também conta com o jatinho do empresário Guilherme Leal, pré-candidato a vice. Segundo o secretário nacional de finanças do PV, Reynaldo Morais, o custo do jatinho será incluído como doação do pré-candidato ao partido, como ocorre com as doações dos demais apoiadores feitas diretamente aos partidos. (G1, Brasília e São Paulo)






Laboratório de manejo florestal
da UEA é ativado em Itacoatiara

Itacoatiara, AM - A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) ativou o Laboratório de Manejo Florestal instalado em Itacoatiara, que servirá para a complementação das aulas de cerca de 200 alunos matriculados no curso de Engenharia Florestal oferecido naquele município.
De acordo com a professora do curso, Melissa Chalco, a ativação do laboratório foi extremamente importante. “O laboratório vem atender às necessidades didáticas de disciplinas do curso, além de possibilitar o desenvolvimento de estudos básicos e aprimoramento dos alunos da Engenharia Florestal”, destacou a professora.
O laboratório poderá ser usado por todos os alunos do curso (de qualquer período), desde que o professor (de qualquer disciplina) solicite. No momento estão programadas atividades para as disciplinas Manejo Florestal (professora Renata Braga), Geoprocessamento (professora Melissa Chalco) e Planejamento de Inventário Florestal (professora Fabiana Rocha). O local conta com 11 computadores e uma impressora de mapa, que auxiliam os alunos nas matérias já programadas.
Oferecido desde 2003, no Centro de Estudos Superiores de Itacoatiara, a oferta do curso para o município possibilitou o ingresso de alunos de diferentes municípios do Estado, entre eles, Rio Preto da Eva, Eirunepé, Envira, Humaitá, Tefé, Apuí, Nova Olinda, Parintins, Fonte Boa, Urucará e Manaus, em cumprimento à meta de interiorização do ensino superior.
Atualmente, são cerca de 200 alunos matriculados, distribuídos em quatro turmas. O curso já formou três turmas de engenheiros florestais.
A solenidade de ativação do laboratório contou com a participação da coordenadora do curso, professora Rejane Ferreira, das professoras Melissa Chalco e Fabiana Rocha, e dos alunos Gelson Mendes, Victor de Lima, Leide Jany Nogueira e Júlio Falcão.Fonte: Assessoria

"Semana do meio ambiente"
é aberta nesta segunda

Manaus - A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) dá início na segunda-feira (31), a partir das 9h, às comemorações da Semana do Meio Ambiente, que se estenderá até o dia 5 de junho. Com a campanha, escolas poderão participar do concurso “Boas Práticas de Educação Ambiental”.
Durante o período, todas as escolas estaduais do Amazonas devem desenvolver palestras, oficinas, apresentações culturais, entre outras atividades baseadas na temática.
A abertura da programação da semana será realizada no auditório Eulálio Chaves, no Mini Campus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e contará com a participação de 600 pessoas, entre gestores, professores e alunos.
Na ocasião, a diretora da divisão de formação de recursos em educação ambiental da Ufam, Maria Simão, ministrará a palestra “Educação ambiental: diversidade de olhares, pluralidade de fazeres.
Este ano, a semana tem como tema “Educadores Ambientais em Ação”, enfocando o envolvimento direto do professor no processo de conscientização ambiental da população. A Semana Nacional do Meio Ambiente foi instituída em 1981 e todo ano aborda uma temática diferente dentro do tema maior que é o Meio Ambiente.
A programação da semana do Meio Ambiente, promovida pela Secretaria, segue no dia 1º de junho com a transmissão da paletra da diretora da divisão de formação de recursos em educação ambiental da Ufam para 30 mil alunos da rede estadual de municípios do interior do estado através do Centro de Mídias da Educação.
No dia 2 de junho, a Seduc promove a culminância da semana com a promoção de atividades como oficinas, palestras e caminhadas em todas as escolas da rede estadual do Amazonas.
O ano de 2010 se destaca como ano Internacional da Biodiversidade, e o Amazonas é detentor de riquezas na fauna e flora, ameaçadas freqüentemente pelo crescimento econômico. A educação ambiental é trabalhada em todas as instituições de ensino como tema transversal, atuando como instrumento de reformulação de comportamentos e valores através da participação e debate junto aos estudantes.
Programação
É um Programa de Ação para o desenvolvimento e uso adequado de recursos naturais, sendo um instrumento de planejamento integrado de políticas públicas. A Seduc realizou a primeira etapa da implantação oficial da Agenda 21 Escolar em 60 escolas de todas as zonas administrativas da capital através das seguintes etapas: Mobilização dos professores, alunos e comunidade; Elaboração do diagnóstico participativo; Elaboração do Plano Local de Desenvolvimento Sustentável.
Concurso Boas Práticas de Educação Ambiental
A Seduc lançou em março de 2010 o Concurso “Boas Práticas de Educação Ambiental” com o intuito de divulgar os projetos realizados nas escolas estaduais e estimular a execução de projetos interdisciplinares, enfocando a fauna, flora e população amazônica, e políticas urbanas e seus desafios.
O concurso é estendido em todo o Estado do Amazonas e é dividido em três categorias: Ensino Fundamental; Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos – EJA; Ensino especial.
Programação - Semana do Meio Ambiente
31/05
Abertura - palestra - Auditório Eulálio Chaves - UFAM - 9h
01/05
Palestra interior - Centro de Mídias – Seduc (Manaus) - 15h
02/05
Culminância - Todas as escolas estaduais - Todo o dia (AL)



UM OLHAR NAS PROBABILIDADES

                                                                                                                 *Osny Araújo

Quando adentramos 2010, ano eleitoral, jurava de pés juntos e mãos postas que teríamos um palanque único no Amazonas em torno do candidato do presidente Lula a presidência da República e do senador Alfredo Nascimento (PR) ao Governo do Estado, face ao companheirismo, parceria, e cumplicidade do Governo do Estado com o Federal, de quem o ex-governador Eduardo Braga (PMDB), foi fiel escudeiro desde o primeiro momento, pelo que teria feito uma promessa ao presidente Lula de apoiar o seu candidato ao Governo.
Com passar dos meses, esse quadro começou a se alterar e o governador Eduardo Braga, PHD em política, começou a olhar melhor as suas probabilidades eleitorais e como vislumbrou que são excelentes, começou a dar pra traz no suposto compromisso que teria assumida com o presidente e a trabalhar a candidatura do seu então vice-governador, Omar Aziz, que gostou da idéia e embarcou com todas as suas forças nessa viagem política com destino a sede do Governo no bairro da Compensa, hoje comandado por ele mesmo.
Político de forte densidade eleitoral no Estado e com uma vaga assegurada para o Senado da República, Braga, que marcou os seus sete anos de administração com grandes obras, como o Prosamim, a ponte sobre o rio Negro, a expansão da Universidade do Estado do Amazonas para o interior, construções na capital, o socorro aos ribeirinhos vitimas da grande enchente e outras grandes obras realizações em Manaus e nos municípios, a inclusão de Manaus como uma das sub-sédes da Copa do Mundo e outras realizações, fez as contas e chegou à conclusão que tem condições plenas de eleger o seu sucessor e sedimentar um belo futuro político, isso, no campo das probabilidades.
Vejamos o quadro. Vencendo a eleição, por exemplo, o governador Omar Aziz, por ser uma reeleição, estará fora do páreo na próxima disputa, o que não ocorrerá, caso o senador Alfredo Nascimento vença o pleito, que terá direito a concorrer à reeleição.
No caso de vitória de Aziz, o ex-governador Eduardo Braga, que tem amplas possibilidades de ganhar uma vaga no Senado Federal, poderá querer ser o prefeito da Copa ou então, voltar a disputar as eleições ao Governo do Estado em 2014, quando deverá estar aproximadamente com 54 anos de vida, ainda com direito a reeleição, caso seja vencedor.
No caso de um insucesso eleitoral, ele retornará ao Senado e tem mais quatro anos para uma nova preparação para reassumir o Governo do Estado. Logo, é bem melhor politicamente para Eduardo Braga Aziz ser governador do que Nascimento.
Dono de um bom discurso e um largo poder de persuasão, Eduardo Braga deve estar convicto de que daqui a 2014 poderá tentar com absolutas possibilidades o seu retorno ao Governo e tudo em função das sementes que semeou durante os sete anos de Governo, especialmente nas feris terras eleitorais do interior, onde deixou grandes obras e a prova é o maciço apoio que a grande maioria dos prefeitos amazonenses emprestou ao seu candidato ao Governo, o mesmo ocorrendo com Igrejas evangélico e outros seguimentos. Isso demonstra prestígio e liderança, predicados que nem mesmo os mais ferrenhos adversários serão capazes de duvidar.
Claro que nem sempre um grande apoio não se traduz necessariamente numa vitória eleitoral, mas é um bom começo.
O senador Alfredo Nascimento, com um bonito currículo político, a quem também assessorei na Secretaria da Fazenda, foi secretário municipal, secretário de várias pastas no Estado, superintendente da Suframa, vice-governador, prefeito da capital, ministro dos Transportes durante sete anos do Governo Lula e senador da República, é mais técnico que político, mas ainda assim, também conhece os caminhos da pedra rumo as urnas.
Com várias obras no interior, custeados pelo Ministério dos Transportes, ele deverá mostrar boas propostas para o Estado, tendo como carro-chefe a conclusão da rodovia BR-319, além do grande carisma e da incrível densidade eleitoral e simpatia que o amazonense tem pelo seu maior cabo eleitoral, que é o presidente Lula.
O certo, é que o senador deverá ter algum coelho para tirar da cartola para esse disputado eleitoral, que sem nenhuma dúvida será das mais polarizadas, com a decisão, certamente ocorrendo num segundo turno.
Como a política partidária é uma das atividades mais mutantes no mundo moderno, ninguém será capaz de afirmar que este quadro estará valendo daqui a quatro anos, mas, que hoje o pensamento deve ser esse, disso não tenho dúvidas.
Político com carreira brilhante desde vereador aos 21 anos, Eduardo Braga, a quem conheço bem, até porque fui seu assessor de imprensa por quase uma década, foi deputado estadual, relator da Assembléia Estadual Constituinte, líder do Governo na Assembléia Legislativa, deputado federal, vice e posteriormente prefeito de Manaus e governador reeleito do Estado, conhece como ninguém todos os atalhos da atividade política e nesse caminho, ele dificilmente se perderá.
Por enquanto, olhando para as probabilidades, está é apenas uma especulação que poderá dar certo ou não em 2014. Vamos esperar para ver.

*Osny Araújo é jornalista e analista político.

Agronegócios


Agricultores familiares têm prazo de
adequação de produtos orgânicos

                                                                *Thomaz Meirelles

Agricultores familiares e empreendimentos da agricultura familiar têm até dezembro de 2010 para se adequarem ao novo sistema de garantia dos produtos orgânicos. A medida faz parte do Decreto nº 6.323/07 que instituiu o Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica. De acordo com o último Censo Agropecuário, já são 90.500 estabelecimentos rurais que praticam agricultura orgânica. O mercado anual de produtos orgânicos do Brasil é de aproximadamente R$ 700 milhões, sendo 40% comercializados no País e 60% para exportação, com crescimento aproximado de 25% ao ano. No Brasil, a produção orgânica é uma atividade que se encontra em franca expansão entre agricultores familiares e assentados da reforma agrária. Estima-se que em torno de 85% dos produtores orgânicos brasileiros sejam familiares. Sistema: O novo sistema, sob responsabilidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), tem a função de regular, controlar, definir regulamentos e registros necessários relacionados aos orgânicos. O sistema pretende, portanto, estabelecer a garantia da produção orgânica. Atualmente, esses produtos seguem vários padrões de qualidade, como instruções normativas e normas certificadoras de redes sociais e do mercado. Com a criação do sistema haverá um padrão brasileiro que será importante para a produção e a comercialização dos orgânicos no mercado interno. O decreto também determina as condições para que os agricultores familiares possam comercializar seus produtos diretamente ao consumidor, sem certificação. Para isso, deverão estar vinculados a uma organização com controle social, cadastrada pelo Mapa, ou em um órgão fiscalizador federal, estadual ou distrital conveniado. De acordo com o decreto, a venda direta consiste na relação comercial direta entre o produtor e o consumidor final, sem intermediários, desde que seja um produtor ou membro da sua família inserido no processo de produção. (Portal do Ministério do Desenvolvimento Agrário)
Câmara aprova perdão a dívidas rurais de até R$ 10 mil
Medida provisória deve beneficiar cerca de 263 mil agricultores. O Plenário concluiu na quarta, dia 19, a votação das emendas do Senado à Medida Provisória 472/09, que concede incentivos fiscais a diversos setores da economia. A principal mudança aprovada pela Câmara é o perdão para dívidas rurais de até R$ 10 mil. A matéria segue para sanção presidencial. O perdão beneficiará as dívidas relativas a empréstimos concedidos com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) ou lastreados em outras fontes com risco da União. Cerca de 263 mil agricultores deverão ser beneficiados, entre os que têm ou não dívidas já renegociadas. Quem tiver débitos superiores a R$ 10 mil também poderá quitá-los até 30 de novembro de 2011. Os deputados aprovaram também emenda que reabre os prazos para inclusão de débitos na dívida ativa da União para renegociação. O prazo legal havia terminado em 30 de novembro do ano passado e a nova data é 31 de outubro de 2010. Outra emenda incluída no texto concede nova subvenção aos produtores de cana-de-açúcar da região Nordeste para a safra 2009/2010. A primeira subvenção havia sido dada para a safra anterior (2008/2009). O valor que o plantador receberá será de R$ 5 por tonelada de cana, com limite de 10 mil toneladas por produtor - que receberá o dinheiro diretamente ou por meio de cooperativa. Plataformas: A Medida Provisória também cria o Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento de Infraestrutura da Indústria Petrolífera nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste (Re penec). Uma emenda aprovada inclui, no benefício, as obras de infraestrutura no setor de indústria naval destinadas à construção de navios, diques flutuantes e plataformas petrolíferas. O Repenec suspende tributos, durante cinco anos, para estimular a instalação da indústria petroquímica nessas regiões. O benefício valerá para a compra ou importação de máquinas, equipamentos e materiais de construção. (Canal Rural)
Diminuiu a parcela da pobreza rural no Brasil
Extensão de benefícios na área agrícola garantiu melhoria na renda. No país, houve também mais emprego formal. O cenário rural que sempre ilustrou a pobreza no Brasil ficou metropolitano. A primeira explicação está na queda da proporção de pobres no Brasil, que era de 45% no início dos anos 90 e caiu para 22,9% em 2008 (último dado disponível). Estudo que a pesquisadora do Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade (Iets) Sonia Rocha apresentou no 22° Fórum Nacional mostra essa mudança na composição da pobreza entre as metrópoles e a zona rural. Em 1995, apesar de representar 19,8% da população, os moradores da zona rural eram 24,7% dos pobres. Já no Brasil metropolitano, a participação na população era de 30,7%, superior à sua representação entre os pobres (28,7%)."Essa redução na pobreza rural está fortemente associada à expansão da cobertura dos benefícios pagos pelo sistema de aposentadoria rural", diz a pesquisadora no estudo. Em 2008, essa situação mudou.Enquanto a população rural representava 14% do total, a pobreza rural ficou em 15,4% do total de pobres; os moradores da metrópoles representavam 30,9% da população e 36,5% entre dos pobres. (O Globo Online)

*Thomaz A P Silva Meirelles – administrador, funcionário público federal, especialista na gestão da informação do agronegócio e escreve semanalmente neste endereço. E-mail: thomaz.meirelles@hotmail.com

Amazonas é 3º maior polo
petrolífero do Brasil


Manaus - Responsável por fazer do estado do Amazonas o terceiro maior polo produtor do país, a província petrolífera de Urucu registrou em abril passado a produção média de 56.264 barris/dia de petróleo e de 10 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural, por intermédio de 80 poços produtores.
Ao longo deste ano, a produção de óleo e gás do Urucu vem representando 5,% da produção total do país, atualmente em torno de 2,3 milhões de barris equivalentes.
A região se localiza em plena selva amazônica, a 650 quilômetros de Manaus e integra a Unidade de Negócios de Exploração e Produção da Petrobras na Bacia do Solimões, onde são desenvolvidas atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural na região.
Em barris de óleo equivalente (BOE), segundo dados da Petrobras, a produção de petróleo e gás natural do Urucu é de cerca de 119 mil barris por dia, deixando o Amazonas abaixo apenas do Espírito Santo (169 mil barris de petróleo e gás/dia) e do Rio de Janeiro – maior polo brasileiro de produção petrolífera, com seus cerca de 1,8 milhão barris de petróleo e gás por dia – o equivalente a pouco mais de 84% de toda a produção dos campos nacionais. (Ag.Brasil)










“Lo Schiavo” encerra apresentações
do 14º Festival Amazonas de Ópera


Manaus – A Ópera Lo Schiavo (O Escravo), do escritor brasileiro Antônio Carlos Gomes, encerrou  ontem as apresentações do 14º Festival Amazonas de Ópera, no Largo São Sebastião.
O espetáculo contou com a participação do Corpo de Dança do Amazonas, Coral do Amazonas e Orquestra Amazonas Filarmônica, para mostrar o romance entre Américo e Ilara. Mais de 12 mil pessoas assistiram ao espetáculo.
Em quatros atos, ”Lo Schiavo” narra a busca pelo amor proibido e em paralelo faz um resgate à escravidão. O espetáculo é ainda uma homenagem à Princesa Isabel, que pôs fim à escravatura no país.
No drama, a jovem índia Ilara vive como doméstica na fazenda do pai de Américo, o Conde Rodrigo que, por não aceitar ver o filho apaixonado por uma escrava, ordena que ele sirva ao Exército. Américo parte acreditando que, ao voltar, seu pai abençoará o casamento entre eles. Enquanto isso, o Conde realiza a união de Ilara com Iberê. A história se passa em 1567 no Rio de Janeiro.
Para encenar a história de drama e amor, músicos do Coral do Amazonas e da Orquestra Amazonas Filarmônica, composta por cerca de 70 integrantes, deram sonoridade à história. De acordo com o maestro Miguel Campos Neto, todos os anos grupo começa a ler as peças três meses antes do festival.
O espetáculo encenado no Teatro Amazonas, maior símbolo turístico do Estado, ganhou movimento com os bailados do Corpo de Dança do Amazonas. A apresentação de ”Lo Schiavo” durou cerca de 4 horas.
FAO
O 14ª Festival Amazonas de Ópera (FAO) começou no último dia 23 de abril no teatro Amazonas e em outros diversos espaços culturais da cidade. O circuito de óperas contou com a apresentação de 15 espetáculos, como Romeu e Julieta, de Charles Gonoud, A Cinderela, do italiano Gioacchino Rossini, entre outros.
Para o maestro Campos Neto o sucesso do FAO deu-se, principalmente, pela diversidade dos autores brasileiros apresentados durante o evento .“A formação que predominou foi de característica ímpar, pelo fato dos compositores brasileiros serem bastante distintos em suas obras. Exemplo disso, cito o Padre José Maurício, compositor da Missa de Santa Cecília, que tem estilo Barroco, já Antônio Carlos Gomes atua no romantismo, e Heitor Villa-Lobos apresenta um rol de composições contemporâneas”, disse o maestro responsável por reger a ópera Floresta do Amazonas.



domingo, 30 de maio de 2010

Vettel bate em Webber, e a vitória cai
no colo de Lewis Hamilton na Turquia


Turquia - O Inglês lidera dobradinha da McLaren, que teve Jenson Button em segundo. Felipe Massa chega em sétimo, uma posição à frente de Fernando Alonso
Os dois primeiros terços do GP da Turquia indicavam uma corrida monótona, com trocas de posições apenas nos boxes.
 Os carros da RBR e da McLaren andavam muito próximos, mas sem tentarem nada mais ousado. Tudo isso até a freada para a curva 12, na 40ª volta. Sebastian Vettel, que vinha em segundo, tentou a ultrapassagem. Mark Webber defendeu corretamente, mas o alemão voltou com o carro para cima do australiano e os dois bateram. Com a confusão, a vitória caiu no colo de Lewis Hamilton, que ainda se defendeu de forma belíssima de um ataque de Jenson Button. O atual campeão completou a dobradinha da McLaren em segundo.
Webber, que voltou à pista e teve de fazer um pit stop extra para trocar a asa dianteira, ainda conseguiu a terceira posição da corrida. Já Vettel abandonou no mesmo momento, na curva 12. Irritado, o alemão saiu do carro fazendo gestos de que o colega de equipe era maluco e chegou aos boxes se negando a dar entrevistas. Após alguns minutos no motorhome, voltou, falou com os jornalistas, mas manteve uma postura mais defensiva, talvez alertado por algum dirigente.(G. Esporte)



Petrobrás investirá US$ 2,6 bilhões
 no Amazonas até 2013

Rio - O Plano de Negócios da Petrobras para o período 2009 – 2013, em fase de revisão, prevê investimentos de US$ 2,6 bilhões no Amazonas nos próximos cinco anos. Desse total, US$ 1,7 bilhão se destina a atividades de exploração e produção, US$ 622 milhões vão para área de gás e energia, US$ 230 milhões serão aplicados em refino e US$ 30 milhões irão para o setor de distribuição.
A estatal diz que esses investimentos são necessários para que ela se fortaleça e continue viável na Amazônia, mantendo a produção de petróleo e incrementando as reservas de gás – essas já garantidas para um fornecimento ininterrupto de 7,5 milhões metros cúbicos por dia por mais vinte anos.
Até 2011 a estatal deve perfurar 22 poços em Urucu, gerando um ganho de produção de cerca de 30 milhões de barris de óleo. Em 2011, esses poços produzirão cerca de 15 mil barris/dia, aproximadamente um quarto da produção da unidade, estima a Petrobras.(Ag.Brasil)

SISTEMA BINÁRIO NO
TRÂNSITO  É QUESTIONADO

Manaus - Apresentado nesta semana como principal solução para o problema do trânsito de Manaus, o sistema binário, que vai mudar para sentido único o fluxo de veículos das avenidas Djalma Batista e Constantino Nery, pode não ser tão eficaz como anunciado pela Prefeitura de Manaus. Especialistas consultados pelo Blog garantem que algumas intervenções viárias são questionáveis.
E o mais grave: até os criadores do projeto ligados a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) admitem que certas intervenções propostas podem não surtir o efeito planejado. “A prefeitura vai tentar e, caso não dê certo como o idealizado, voltaremos a operar como era antes”, justifica o urbanista da Seminf, Haroldo Bandeira sem parecer se importar com os R$ 20 milhões que a obra já terá consumido caso o município volte atrás da decisão.
O engenheiro de estradas e transporte da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Rubelmar de Azevedo Filho observa pontos divergentes na execução do sistema binário. O especialista questiona, por exemplo, os transtornos de interligação para os motoristas que necessitarem se deslocar para a avenida Djalma Batista, apontada pelo professor, como o principal centro de negócios da capital. “Uma via em sentido único dificulta o acesso dos trabalhadores que precisarão caminhar cerca de 400 metros da Constantino Nery para a Djalma”, calcula.
Na opinião do professor, a construção de calçadas amplas e passarelas de acesso às duas avenidas podem garantir a segurança dos pedestres que necessitem fazer a interseção entre as vias expressas. “Esse calçamento deve ter no mínimo três metros de largura e não os atuais 1,5 metros”, insiste Rubelmar Filho. Ele acrescenta que a instalação desses passeios públicos, observadas as barreiras de contenção, pode evitar os estacionamentos irregulares. “Algumas atitudes não demandam de dinheiro e, sim de vontade política”, pondera.
E vontade pode não faltar, adianta o urbanista Haroldo Bandeira. O assessor da Seminf garante que os estudos para a criação de passarelas e calçadas para pedestres estão em fase conclusiva. “Estamos planejando criteriosamente todos os passos a serem adotados quanto a segurança das pessoas. Tudo será padronizado!”, especifica Bandeira.
‘Peixe velho vendido como novo’
Na administração do ex-prefeito Serafim Correa (PSB), o professor Rubelmar Filho participou dos primeiros estudos de viabilidade do sistema binário. “Estão vendendo como peixe novo uma ideia concebida na gestão passada. Se os estudos atuais se aproximarem das avaliações passadas vai ser algo bom. Uma obra dessas não pode ser quebrada por erro na elaboração”, detalha o engenheiro civil.
Outro motivo de preocupação de Rubelmar Filho é quanto aos gargalos provocados pelo escoamento de veículos nos dois sentidos do binário. Para o professor, é difícil calcular a dimensão dos transtornos provocados, por exemplo, na interligação entre Constantino Nery e rua Epaminondas, no Centro. “Será que ao afunilar o trânsito naquela região as ruas vão suportar tanto veículos juntos?”, indaga.
Em outras perspectiva, o mesmo traçado entre Epaminondas e Constantino Nery até seu prolongamento à Djalma Batista deveria ter um novo desenho na opinião do professor Rubelmar Filho. Ele avalia que ao chegar ao Centro, os veículos teriam que contornar a estação da Matriz e dobrar à esquerda em frente a Alfândega seguindo pela Eduardo Ribeiro em sentido único. “No final dessa via, uma passagem de nível passaria por baixo do Instituto de Educação do Amazonas (IEA) e alcançaria a Djalma por meio da Silva Ramos e Japurá”, projeta Rubelmar.
Descentralizar é a solução
A Seminf admite o problema, mas garante que, com o advento de construção do sistema viário do monotrilho, a atual estação dos ônibus, na Praça da Matriz, vai ceder lugar a mais pistas de rolamento. O urbanista Heraldo Bandeira acredita que a solução ‘definitiva’ para equacionar as dificuldades de escoamento de frota é mudar a mentalidade da população que utiliza os serviços da área central da cidade. A proposta é que as pessoas transfiram suas atividades comerciais para outras regiões da cidade. “Muitos bairros são autossuficientes com disposição de todas as atividades praticadas no Centro”, exemplifica Bandeira, ao citar os comércios da Alvorada, Cidade Nova, São José e Parque 10 como exemplos de vetores que agregam grandes redes de negócios e serviços.
Outro gargalo
O engenheiro civil Hallyton Geber trabalhou durante três anos no extinto Instituto Municipal de Trânsito (Imtrans) e alerta para outros problemas advindos da redistribuição dos fluxos de veículos no sistema binário. “Tem que se observar o tráfego nos cruzamentos entre a avenida Djalma Batista e Mário Ypiranga (antiga Recife). Naquele trecho existe um afunilamento que somente a construção de mais uma pista resolveria o emparelhamento dos carros”, analisa Geber.





sábado, 29 de maio de 2010


Morre aos 74 anos o ator e diretor
Dennis Hopper, de 'Easy rider'

Nova York,EUA - O ator e diretor de cinema norte-americano Dennis Hopper morreu neste sábado (29), aos 74 anos, informaram à agência de notícias Reuters a produtora do ator e um amigo de sua família.
Ele faleceu cercado por parentes, em sua casa em Venice, no subúrbio de Los Angeles. A morte se deu às 8h15 locais (12h15 de Brasília), segundo Alex Hitz, amigo do ator e diretor de "Sem destino" (no título original "Easy rider")
Ele sofria de câncer na próstata e morreu de complicações decorrentes da doença. Segundo a agência de notícias EFE, o ator recebia tratamentos contra o câncer desde outubro, por meio de um programa especial da Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles.
Divórcio conturbado
Lutando contra o câncer há tempos, sua condição de saúde piorou em setembro, mas Hopper continuou a trabalhar até o fim de sua vida, tanto na série norte-americana de TV "Crash" (baseada no filme homônimo, de 2008), quanto na produção de um livro de fotografias (um de seus principais hobbies, ao lado da pintura e da escultura).
Dentre seus casamentos, que marcam uma vida agitada (com vício em drogas e álcool), está uma união com a cantora Michelle Phillips, do grupo Mamas and the Papas, em 1970. O casamento durou oito dias e segundo ela declarou à época à revista "Vanity Fair", terminou devido ao tratamento "brutal" a que era submetida.
Em declaração polêmica acerca de seu estilo de vida, o ator chegou a revelar que gostava de "cheirar carreiras de cocaína do tamanho de seu braço para continuar podendo beber galões de álcool".
"Sem destino"
Dennis Hopper dirigiu e atuou em "Sem destino", de 1969, road movie que é considerado sua obra-prima e pilar da contracultura e do movimento hippie na década.
"Nós olhávamos para toda a década dos 60 e ninguém havia feito um filme com alguém fumando maconha sem sair por aí e matar um punhado de enfermeiras", disse Hopper à "Entertainment Weekly", em 2005. "Eu queria que 'Sem destino' fosse uma cápsula do tempo sobre aquele período."
realizada em Hollywood em março. (Foto: Reuters)Segundo a crítica, "Sem destino" mudou a história do cinema norte-americano ao abrir caminho nos anos 1970 para uma nova geração de diretores em Hollywood, como Coppola e Martin Scorsese.
Obra no cinema
Hopper teve uma carreira prolífica, que durou mais de 50 anos. Ele surgiu ao lado de James Dean em "Rebelde sem causa" e "Assim caminha a humanidade", nos anos 1950. Também atuou em "Apocalypse now", de Francis Ford Coppola, e "Veludo azul", de David Lynch.
O ator também viveu vilões em filmes de grande orçamento na indústria do cinema, como em "Velocidade máxima" e "Waterworld".
Ele recebeu duas nomeações para o Oscar: uma pelo roteiro de "Sem destino", e outra pela atuação como um técnico de basquete alcoólatra em "Hoosiers", de 1986.
Em março, já com a saúde bastante debilitada, o astro recebeu uma homenagem de Hollywood por sua trajetória no cinema: uma estrela na Calçada da Fama, localizada no coração da cidade que é berço do cinema dos EUA.
O ator e diretor Dennis Hopper, de 'Easy rider', morto neste sábado (29), em foto de 2009 (Foto: Reuters)
Em busca da cara-metade
MANIFESTAÇÃO BEM HUMURADA

S.Paulo - Evento reuniu pessoas em busca de namorados no Parque do Ibirapuera, Zona Sul de São Paulo Cerca de 200 corações solitários em busca do par perfeito se reuniram na tarde deste sábado (29) no Parque do Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo, para conhecer novas pessoas e, talvez, sair de lá com a cara metade.
Organizado por um site de relacionamentos, a segunda edição do “Movimento dos Sem Namorados” tem como meta fazer com que os solteiros se conheçam e protestem contra a dificuldade de encontrar namorados e namoradas.
O evento reuniu pessoas que aparentavam estar mesmo procurando alguém para amar e pessoas que aproveitaram a oportunidade para participar da festa, com faixas e camisetas fornecidas pelo site.
Os amigos Guilherme Picerni, de 21 anos, André Crumfil e Gustavo Suldon, ambos de 19, se destacaram entre os participantes. De blazer e cueca, os três foram o centro das atenções. “O terno é para mostrar que somos pessoas sérias. A cueca é porque a diversão sempre vem em seguida”, disse Gustavo.
Ele, que afirma não ter namorada, ainda tinha esperanças de encontrar alguém, apesar de muita gente que passava pelo local afirmar que a maioria dos participantes eram contratados pelo site.
Segundo o presidente da empresa de relacionamentos, que tem sede no Rio de Janeiro, a segunda edição do evento deveria reunir ainda mais pessoas durante a tarde. Ele afirma que após o evento a procura das pessoas aumenta. “E em junho, mês dos namorados, cresce 40%”, afirmou Cláudio Gandelman.



Weggis 2006 X Joanesburgo 2010

Oba-oba de Weggis dá lugar à
privacidade e dedicação dos atletas


Joanesburgo, Africa do Sul - Weggis é uma palavra que causa mal-estar na CBF. A bela e pacata cidade suíça de cerca de cinco mil habitantes entrou para a história do futebol brasileiro como sinônimo de festa, desorganização e exposição exagerada dos jogadores. E virou a grande vilã pelo fracasso da seleção na Copa do Mundo de 2006. Um clima de carnaval fora de época que passou a ser combatido quatro anos depois. Dunga gosta de se referir àquela preparação como exemplo de tudo o que não se pode fazer antes de um Mundial.
- É lógico que não vamos deixar que aconteça aqui tudo que eu vi e ouvi falar de Weggis - disse Dunga na primeira entrevista coletiva em Joanesburgo.
A mudança vai além da blindagem e do isolamento dos jogadores. Dunga fez questão de fechar com um grupo disciplinado, não tão chegado a badalações, focado em um objetivo. Quem não se enquadrou ficou pelo caminho.
Em 2006 vários jogadores se apresentaram ao técnico Carlos Alberto Parreira fora de forma. Ronaldo foi o maior exemplo. Chegou a Weggis perto dos 95kg. Nove a mais do que o peso ideal da Copa de 2002. Adriano também estava longe do ideal. Mas, na época, a comissão técnica preferia minimizar o assunto.
Dunga procurou tratar o assunto com cuidado. Avisou ao grupo que quem não se cuidasse estaria fora da Copa. O maior exemplo foi Adriano, que faltou a 13 treinos no Flamengo neste ano, teve muitos problemas pessoais e não conseguiu entrar em forma durante a temporada. A seleção se apresentou sem um jogador, aparentemente, estar acima do peso. Neste sábado, todos os atletas fizeram o mesmo trabalho físico. Ninguém está com uma programação especial.
Na convocação para a Copa, o técnico deixou clara a opção pela dedicação integral à seleção.
- Eu adoro o Adriano, nós tentamos de todas as formas. Meu coração falou uma coisa, mas tem uma hora em que é preciso seguir a razão. Não poderia correr o risco de perder o grupo. Demos inúmeras oportunidades para ele recuperar a autoestima, a confiança - disse o treinador no dia da convocação para a Copa do Mundo.
Ronaldo, com barriga saliente, em 2006. Outros jogadores também chegaram bem acima do peso...
...Seleção se apresentou sem ninguém, aparentemente, fora de forma. Acima do peso, Adriano ficou fora
Torcedora invade o campo para abraçar Ronaldinho. Foram várias outras tentativas, mas sem sucesso...
...Em Joanesburgo, jogadores treinam longe dos torcedores e não são incomodados durante a atividade
Na "zona mista", vários jogadores conversavam com a imprensa todos os dias antes dos treinos...
...Em 2010, as "coletivas" predominam. Dois jogadores escolhidos pela CBF falam por dia com os jornalistas
Após os treinos, jogadores perdiam muito tempo distribuindo autógrafos antes de voltar para o hotel...
...Agora, até os estudantes da escola em que a seleção treina são orientados a não ficar observando o campo
Estádio em Weggis lotado para o treino da seleção. Houve até venda de ingressos...
...Em Joanesburgo, treino da seleção fechado sem o acesso dos torcedores
Em Weggis, uma grade e uma tela protegeram o hotel. Era possível ver os quartos da rua...
...The Fairway fica em um complexo privado e mesmo os sócios não tem visão do hotel por causa da proteção
Em 2006, houve o que a CBF classificou com um "Big Brother" com a seleção. Agora, Dunga resolveu blindar o grupo. Nada de torcedores, nada de exposição excessiva. Os treinos não podem ser transmitidos ao vivo, as entrevistas são bem limitadas. Nada de zona mista, quando de seis a oito jogadores passavam por um corredor cheio de jornalistas para dar entrevistas todos os dias. Em Joanesburgo, o contato só é feito por meio de coletivas. Normalmente dois jogadores escolhidos pela assessoria de imprensa. Neste sábado, não houve nem isso. Silêncio.
- Quero que vocês reflitam se são necessárias várias câmeras apontadas para os quartos dos jogadores. O "Big Brother" de Weggis não foi criado por nós, mas sim, pelos meios de comunicação, pelas novas tecnologias - disse o diretor de comunicação da CBF, Rodrigo Paiva, no primeiro dia em Joanesburgo, após ver câmeras e máquinas fotográficas viradas para o hotel da seleção.
Os 13 dias em Weggis tiveram treinos com venda de ingressos, arquibancadas lotadas. Os torcedores vibravam a cada lance e aplaudiam qualquer reação dos jogadores. Antes e depois das atividades uma sessão de shows de malabarismos com a bola. Os jogadores eram tratados como estrelas, perdiam quase uma hora distribuindo autógrafos. Pelo menos sete torcedores tentaram invadir o gramado do local de treinos. Uma conseguiu, para delírio do público, e enlouquecida agarrou e deu um beijo em Ronaldinho Gaúcho, que estava deitado no gramado na fase final de alongamento.
- Vamos dar o peso que o fato merece. Não deveria ter acontecido, mas não nos afetou em nada. Serviu até para descontrair o ambiente e deu notícia para vocês (da imprensa) - disse o supervisor Américo Faria na época.
O discurso, hoje, é diferente. O acesso à seleção brasileira tem sido um dos principais temas neste início de preparação. Os torcedores, por ora, não puderam ver os treinos em Joanesburgo - em Curitiba, foram três treinos abertos. Até os alunos da Randburg High School - local em que os jogadores estão trabalhando - foram orientados a não se aproximar do campo onde estava a seleção brasileira para observar a atividade.
O "The Fairway", hotel onde a delegação está hospedada, fica dentro do complexo de um clube de golfe. Em volta, um grande tapume foi montado para garantir a privacidade e evitar a visibilidade. O acesso ao local é bastante controlado. Bem diferente do que aconteceu no Park Hotel Weggis, o cinco estrelas onde a seleção ficou há quatro anos. A única medida na época foi a instalação de uma baixa grade para evitar o acesso de quem passava pela rua. Qualquer pessoa conseguia ver, por exemplo, as janelas dos quartos dos jogadores.
- Apesar das limitações, a seleção brasileira é uma das mais abertas do mundo ainda. Não tenha dúvida que 2006 foi um fator fundamental para a mudança de comportamento. A CBF foi muito criticada por ter muitos torcedores e jornalistas nos treinos. O assédio agora praticamente não existe pelas limitações que criamos de acesso - disse Rodrigo Paiva.
Neste sábado, os jogadores foram liberados pela primeira vez para sair da concentração. Mas Dunga proibiu badalações e marcou hora para todo mundo voltar: 22h (17h de Brasília). Kaká, Julio Baptista e Julio Cesar preferiram ficar jogando golfe. Luis Fabiano, Elano, Gomes, Grafite, Doni, Felipe Melo e Gilberto Silva foram passear rapidamente em um shopping. Entraram em uma loja de eletrônicos e tomaram sorvete. Em Weggis, tudo foi diferente. Ronaldo, Roberto Carlos, Adriano, Emerson e outros jogadores curtiram a noite de Lucerna, uma boêmia cidade suíça localizada a 30 minutos da concentração.
No dia seguinte, os jogadores estavam na capa do jornal suíço "Blick". Ronaldo brincava de DJ. Emerson e Roberto Carlos apareciam ao lado de mulheres. A presença na boate Night Live causou mal-estar com a comissão técnica. Algumas fotos dos craques em 2006.(G.Esporte)



Alencar  melhora e recebe alta


S. paulo - José Alencar passa por exames em São Paulo Internado desde quinta-feira (27) no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, o vice-presidente da República, José Alencar, recebeu alta às 11h da manhã deste sábado (29), informou o hospital em nota.
Ainda segundo o hospital, já na noite de sexta-feira (28) o quadro clínico do vice-presidente era considerado bom. O vice-presidente foi internado com queixa de fadiga e ficou sob avaliação de uma equipe de cinco médicos. Ele também fez exames laboratoriais.
Alencar sofre de câncer no abdome há 12 anos. Na quinta, ele havia participado, no Rio de Janeiro, da cerimônia de lançamento do primeiro navio porta-contêineres construído no Brasil. O hospital não divulgou se Alencar ficará em São Paulo ou seguirá para Brasília. O G1 tentou entrar em contato com a assessoria do vice-presidente e ainda aguarda retorno.



Índios prometem bloquear BR-317


Manaus - Índios das etnias apurinã e jamamadi prometem bloquear nas próximas horas o quilômetro 75 da rodovia BR-317, que liga a cidade amazonense de Boca do Acre (a 367 quilômetros de Manaus) a Rio Branco, no Acre. Os manifestantes pedem a construção de escola na reserva indígena, uma unidade móvel de saúde e compensação pelos impactos ambientais de R$ 9,7 milhões.
Essa ameaça de bloqueio forçou o deslocamento, ontem, de uma comissão da Secretaria de Estado para os Povos Indígenas (Seind) ao local do conflito. A assessoria de imprensa da secretaria informou que apenas hoje o titular da secretaria, Bonifácio José Baniwa vai se pronunciar sobre as reivindicações dos indígenas e as medidas que serão adotadas pelo governo.
Em entrevista ao jornal A Tribuna, do Acre, o líder do movimento, Francisco Gonçalves Apurinã, explicou que as negociações com as autoridades amazonenses começaram em 2009. Nessas conversas buscavam-se um entendimento sobre os impactos que o asfaltamento dos 47 mil hectares traria as mais de três mil famílias que vivem na área de reserva. “Por isso, o impacto do asfalto nas terras indígenas é prejudicial”, esclareceu a Apurinã.
Prejuízos
Na primeira barreira promovida em Boca do Acre durou três dias e, na ocasião caminhoneiros ficaram impedidos de seguir viagem. Em razão da paralisação faltaram combustível, gás de cozinha e vários gêneros alimentícios no município. Apenas pessoas em tratamento de saúde podiam ultrapassar a barreira de troncos feita pelos apurinã. Caso haja um novo protesto, as lideranças indígenas prometem ser mais rigorosas e só vão liberar a estrada depois que o governo cumprir o acordo.
Remoção incerta
Enquanto os indígenas de Boca do Acre somam esforços para impedir a pavimentação da BR-317, famílias indígenas que ocupam provisoriamente o prédio anexo da Seind, no Centro de Manaus, têm até amanhã para desocupar o local. Assessoria de imprensa do órgão informou que às medidas quanto a relocação dos indígenas será decida ainda este final de semana.(Emtempo)







Wallace faz nova cirurgia  em São Paulo


S.Paulo - Com uma duração de aproximadamente sete horas, o ex-deputado estadual Wallace Souza foi submetido a uma cirurgia delicada no abdômen para a implantação de uma válvula. Durante a operação, realizada ontem, no Hospital Bandeirante, em São Paulo, ele sofreu uma parada cardíaca. Até o fechamento desta edição, o ex-parlamentar ainda estava em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
A válvula que foi adquirida pela família Souza nos USA, terá a função de drenar o líquido que se acumula diariamente na barriga do ex-parlamentar. No início da tarde de ontem, Wallace foi encaminhado para a UTI, onde permaneceu em recuperação pós-operatória e sob os olhares da equipe médica, já que há a possibilidade de o corpo do ex-parlamentar rejeitar a válvula.
Debilitado, o ex-apresentador do programa Canal Livre, Wallace teve uma parada cardíaca durante a operação. Os médicos reverteram o quadro imediatamente, e prosseguiram com a cirurgia. A irmã de Souza, a subsecretária municipal de assistência social, Marlúcia Chiroque, que acompanha o irmão desde Março no Hospital Bandeirante, passou mal, e teve de ser medicada pela equipe médica do hospital.
Em entrevista ao EM TEMPO anteontem, Marlúcia Chiroque explicou que o implante da válvula é o primeiro passo para o transplante de fígado que poderá ocorrer nos próximos meses, em Miami (USA). Ela ressaltou que a equipe médica do Hospital Bandeirante, já está trocando informações com especialistas americanos sobre a o transplante do seu irmão.
“O doutor Tércio Jezeni está enviando os resultados dos exames que são realizados no Wallace para uma equipe médica nos USA. Tudo isso para tentarmos brevemente o transplante do fígado do meu irmão”, disse.
Wallace Souza está internado com problema crônico no fígado, no Hospital Bandeirante, em São Paulo, desde o dia 18 de março. Antes de ser transferido para São Paulo, o ex-parlamentar ficou aproximadamente quatro meses internado no Hospital Beneficente Portuguesa, em Manaus. De acordo com informações da família Souza, o Wallace sofre com trombose no fígado há mais de 15 anos.
Presença de federais
Enquanto o ex-deputado era submetido à cirurgia, agentes da Polícia Federal acompanharam do lado de fora do centro cirúrgico. Isso porque, Wallace Souza segue ‘preso’ preventivamente em razão da prisão decretada no mês de abril, pelo juiz federal de Montes Claros (MG), Jorge Serra. O deputado cassado é réu no processo que apura o suposto plano de assassinato da juíza federal Jaiza Fraxe.